O Museu Getúlio Vargas, de São Borja, ocupa a casa onde residiu o Presidente da República que lhe empresta o nome, e faz parte do patrimônio cultural do Rio Grande do Sul. Seu acervo é composto por mobiliário, documentos e fotos que traçam uma linha do tempo de 1911 a 1923, período em que Vargas residia no local. O projeto de sua restauração, realizado em coprodução pelas empresas Lahtu Sensu Administração Cultural e Cida Cultural, durou 18 meses e contemplou a recuperação de pisos, forros, revestimentos, pintura e ferragens de fechamento das esquadrias da parte interna, como cremonas e trincos. Além disso, foram instalados aparelhos de ar-condicionado, sensores e câmeras de monitoramento. O Museu ganhou também mobiliário novo para exposição do acervo.

A restauração do telhado foi concluída com a colocação de telhas francesas em substituição às antigas e à cobertura de zinco, e foi afixada uma subcobertura. Nos fundos do terreno, o projeto contemplou a construção de uma nova edificação, de cerca de 230 metros quadrados. O prédio, de dois andares, passou a abrigar a reserva técnica e salas de pesquisa, higienização, restauração e manutenção das peças em exposição.

 

 

Co-produção
Cida Cultural e Lahtu Sensu

Patrocínio
AES Sul – Uma empresa AES BRASIL, por meio do financiamento do Pró-Cultura RS – Lei de Incentivo à Cultura

Financiamento
LIC/RS

Fotos
Eduardo Aigner